Notícias

Prefeitura de Santo André explica o corte de refeição dos PMs no restaurante da Craisa

O prefeito Paulo Serra alegou a Craisa possui um déficit de R$ 70 milhões e, por isso, não pode mais bancar as refeições dos policiais militares.

Conforme publicamos, desde 1º de fevereiro, os PMS estão proibidos de almoçar nos restaurantes da autarquia.

Tal medida causou decepção aos profissionais, no entanto, a Polícia Militar é de responsabilidade do Estado de São Paulo.

Serra fez questão de afirmar que a Craisa não tem a obrigatoriedade de fornecer a alimentação, principalmente por não haver qualquer convênio estabelecido com o governo estadual.

Estima-se que serão economizados mais de R$ 850 mil por ano com a medida.