Notícias

Paulo Serra assume Prefeitura e anuncia alternativas para corrigir finanças de Santo André

O prefeito eleito Paulo Serra (PSDB) tomou posse do cargo ontem, 1 de janeiro, em solenidade formalizada na Câmara de Santo André. Com o cargo, o prefeito herda dívida no valor de R$ 257,6 milhões, sem citar precatórios e pendências junto à Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

Como alternativa para normalizar a situação financeira do município, Paulo Serra se comprometeu a publicar pacote de decretos conduzindo medidas de austeridade, além da criação de duas comissões ligadas à Secretaria de Finanças, o objetivo é analisar contratos e renegociação de dívidas. “Vamos dar exemplo, cortar na carne. Será mudança de postura na forma de gestão, devolver carros oficiais, celulares (corporativos), combater o desperdício do dinheiro público, reduzir número de secretarias (de 19 para 14) e de cargos comissionados (congelar 40%)”, disse o prefeito.

Também será publicado decreto que determina o congelamento das dívidas com fornecedores. O congelamento significa que nos próximos 90 dias a Prefeitura não irá pagar valores referentes ao passivo deixado pela antiga gestão. A prioridade será quitar os compromissos relacionados a 2017. Após estes três meses, a Prefeitura começará a renegociar as dívidas com os fornecedores.

O programa de contenção da Prefeitura prevê queda de despesas de, pelo menos, R$ 10 milhões ao mês. O impacto projetado por Paulo Serra somente com corte de cargos em comissão e de funções gratificadas têm número inicial de R$ 40 milhões ao ano de economia.

“A cidade é viva, de todos e para todos, mas ela deve ser vista e permanentemente pensada para as futuras gerações. A cidade que nossos filhos e netos receberão no futuro começa a ser plantada a partir de hoje”, discursou Paulo Serra na cerimônia de posse.