Notícias

Ricardo Eletro: polícia cumpre mandados em SP e Santo André

Ricardo Nunes, fundador da rede varejista Ricardo Eletro, foi preso em São Paulo, na manhã desta quarta-feira, 8, em operação que investiga sonegação fiscal e lavagem de dinheiro em Minas Gerais.

A força-tarefa é composta pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), pela Receita Estadual e pela Polícia Civil. Segundo o MP do estado, a rede varejista sonegou cerca de 400 milhões de reais ao longo de quase dez anos.

Oficialmente, Nunes deixou a presidência da empresa em 2018 e também não faz mais parte do quadro de acionistas desde 2019. Porém, a Justiça investiga se o empresário continuava a controlar as operações mesmo não estando oficialmente ligado à companhia.

A filha de Ricardo, Laura Nunes, também foi presa, na Grande BH. Há ainda um mandado de prisão em aberto para diretor superintendente da Ricardo Eletro, Pedro Daniel Magalhães, em Santo André.

De acordo com o MP, foram expedidos três mandados de prisão e 14 de busca e apreensão a serem cumpridos em Belo Horizonte e Nova Lima (MG) e São Paulo e Santo André na operação “Direto com o Dono”. Nunes deve ser encaminhado ainda nesta quarta-feira para Belo Horizonte e será ouvido pela Polícia Civil de Minas Gerais.

De acordo com o MP, a rede de varejo cobravam dos consumidores, embutido no preço dos produtos, o valor correspondente a impostos. No entanto, os investigados não faziam o repasse e se apropriavam desses valores. Só em MG, a investigação detectou 400 milhões de reais em sonegação com a prática.

Segundo o MPMG, além da sonegação, Nunes é investigado por lavagem de dinheiro. Além dos mandados de prisão, a Justiça determinou o sequestro de bens imóveis do empresário, avaliados em cerca de 60 milhões, para ressarcir danos causados ao estado de Minas Gerais.

Em nota, a Ricardo Eletro afirmou que Nunes e familiares deixaram o quadro de acionistas ou conselho de administração desde 2019. Segundo comunicado, a empresa reconhece parcialmente a dívida com o estado de Minas Gerais e vinha em “discussão avançada” antes da pandemia para pagamento de tributos passados.

Além da investigação sobre sonegação de impostos, a rede Ricardo Eletro também tem outras grandes dívidas. Ao todo, a empresa deve mais de 75 milhões de reais a União.

Com informações da Veja e Agência Estado


Compartilhe!