Variedades

Cuidado para não perder o emprego ao caçar Pokémons

Por Daniela do Lago*

O jogo Pokémon Go é “febre” no mundo. Apesar de ser extremamente divertido, o jogo tem causado alguns respingos dentro das empresas. Claro que na sua vida pessoal, você é livre para escolher os seus hobbies, porém é preciso ficar esperto para não deixar a diversão interferir no ambiente de trabalho.

Nesta semana, ouvi a seguinte frase de uma candidata a vaga de emprego que, ao meu lado, aguardava a recepcionista do prédio: “enquanto você faz o meu cadastro, vou ali capturar uns pokémons”. Obviamente, essa declaração desnecessária não pegaria muito bem se alguém da empresa de recrutamento estivesse por perto.

Hoje é difícil traçar a linha divisória entre trabalho e vida pessoal. Você é o único responsável por definir seus limites. O tempo é o seu bem mais precioso e, quando falamos da sua carreira e os objetivos que pretende alcançar, é importante avaliar onde sua energia está sendo empregada e escolher bem como tem gastado seu tempo. Fique atento às suas escolhas!

Mas quais consequências o jogo pode causar à sua carreira?

1) Por ser um jogo que estimula as pessoas a ficarem em ambientes externos, o Pokémon Go está provocando algumas queixas por parte das empresas, especialmente em relação aos profissionais que trabalham nas ruas. Sim, você pode ser punido e até mesmo demitido por justa causa em função desse comportamento. Fique atento às regras de sua empresa para não infringi-las.

2) Entenda que não é bom comentar todos os hobbies ou hábitos da sua vida privada na empresa. Se você falar que joga Pokémon Go em um ambiente de trabalho formal, pode apresentar uma imagem infantilizada internamente, principalmente, quem almeja cargos mais altos. É importante compreender qual é a realidade da organização e aceitar que nem todos têm “cabeça aberta” como você.

3) O que rege o trabalho é o mundo real e não o virtual. Cuidado para não perder a hora de retorno após o almoço por conta da caça aos pokémons pela cidade.

Vou compartilhar com vocês uma pergunta que eu me faço sempre, antes de realizar qualquer atividade ou tomar uma decisão: o que eu vou fazer agora me deixa mais perto ou mais longe dos meus objetivos de carreira?

Os aplicativos e as redes sociais fazem parte do nosso cotidiano, e é preciso ter em mente que não são eles os responsáveis pela sua falta de produtividade. É você quem não sabe lidar com isso!

* Daniela do Lago é coach de carreira, palestrante, professora dos cursos de MBA da Fundação Getúlio Vargas nas disciplinas de Gestão de Pessoas, Comportamento Organizacional, Comunicação e Relacionamento Interpessoal e escritora. Em 2014 lançou o livro “Despertar Profissional”, pela Editora Integrare, que contém dicas práticas de comportamento no trabalho.

Compartilhe!